Páginas

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

21ª REUNIÃO DA COMISSÃO EM DEFESA DOS CAMPUS DA UERN E UFRN FICA DE PRONTIDÃO

A 21ª Reunião da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN na Região Agreste Potiguar reunida ontem (30) na Escola Estadual Rosa Pignataro - Nova Cruz - RN, deliberou alguns pontos que fortalecem as ações da comissão.

Eduardo Vasconcelos, coordenador da comissão inicia passando os informes aos presentes, principalmente após as audiências ocorridas no último dia 24 em Natal com o Reitor BELCHIOR ROCHA do IFRN e o professor Enildo Santos, assessor do UFRN que coordena as expansão dos campus no RN.  Para Eduardo as audiências foram proveitosas já garantiram das instituições de que até 2015 serão implantados os campus em Nova Cruz.

 21ª Reunião foi muito proveitosa


 Comissão firme e forte na defesa dos campus



Quanto a UERN, Eduardo Vasconcelos  informou que está agendado uma audiência para o dia 5 de novembro em Mossoró com o Reitor, Pedro Fernandes e só após essa audiência é que será encaminhado algum procedimento para encampar a bandeira de luta pela permanência da UERN em Nova Cruz.

Por último foi formado uma "Comissão de Prontidão", já que a qualquer momento equipe da UFRN virá a Nova Cruz inspecionar o prédio da instituição em Nova Cruz e evidente que a comissão acompanhar os técnicos.

Foi marcada uma outra reunião para o dia 7 de novembro, ás 7 horas da noite no estadual (Rosa Pignataro) para discutir a estrutura do III Debate que ocorrerá final de novembro, provavelmente no Auditório do IFRN de Nova Cruz.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Prova com palavra de baixo calão é aplicada a alunos da 4ª série no Acre


Tirinha alterada em prova. (Foto: Reprodução/Efigênia Ferreira/Arquivo Pessoal)


Uma prova de língua portuguesa contendo um palavrão foi aplicada a alunos em uma escola fundamental em Rio Branco, no Acre. No teste, a palavra “pica” foi colocada em uma tirinha alterada da Turma da Mônica, gerando polêmica entre os pais das crianças. 

O texto original da tira é: 

- Cebolinha: “Eu quelo um saco de pipoca”

- Pipoqueiro: “E a garotinha?”

- Magali: “O que sobrar!”

Aplicada no dia 7 de outubro aos alunos da 4ª série da Escola Luiza Batista de Souza, a prova só chegou às mãos dos pais na última sexta-feira (25) em uma reunião. Indignados, os pais se mostraram constrangidos com a tira e exigiram explicações da direção. 

A professora afirmou que antes de passar o teste, ele havia sido avaliado e aprovado pela coordenação da instituição. Alguns alunos teriam questionado a professora sobre o uso da palavra ainda durante a prova. 

Responsável pela aplicação do exame, a professora Francisca Ermina afirmou, em entrevista ao “UOL”, que o erro teria ocorrido durante a revisão da prova pela coordenação. Segundo ela, a funcionária que elabora a prova teria se enganado ao colocar a expressão na tira. Entretanto, mesmo após ver o erro, não viu maldade no uso da expressão.


Fonte: Yahoo

CONSTRUA UM GRÊMIO ESTUDANTIL EM SUA ESCOLA!, É LEI! QUEM FOR CONTRA DENUNCIE AO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL - MPE/RN

Qual estudante nunca parou e se perguntou porquê um laboratório da escola não funciona, por que a quadra poliesportiva está com o piso danificado ou a biblioteca sem livros suficientes? Pois é. Fatos como este acontecem de forma recorrente em muitas instituições brasileiras e na maioria delas depende de você, estudante, mudar essa situação!
Que tal começar se informando na sua unidade escolar se existe um grêmio estudantil? Isso mesmo! O Grêmio é a organização que representa os interesses dos estudantes na escola. Ele permite que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação, tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade. O Grêmio é também uma importante possibilidade para que os jovens se mobilizem e se fortalecerem em busca de um bem comum, contribuindo de forma significativa para o crescimento do cidadão como pessoa.
Por meio da organização, abre-se espaço para opinião, debate, solidariedade e a verdadeira prática democrática nas salas de aula. É preciso ter consciência de que cada uma dessas opiniões pode fazer a diferença.
COMO FUNDAR UM GRÊMIO?
1º PASSO- MOBILIZE UMA GALERA: Convide estudantes interessados e os representantes de classe (se houver) para formar a COMISSÃO PRÓ-GRÊMIO. Este grupo, com cerca de cinco ou seis pessoas, deve elaborar uma proposta de Estatuto que será discutida e aprovada pela Assembléia Geral. É importante fazer com que todos os alunos da escola saibam da vontade de se ter um grupo que defenda os seus interesses no ambiente escolar;
2º PASSO- Após montar uma Comissão Pró-Grêmio, ou seja, o grupo de pessoas que juntamente com você irão fazer parte da organização deve, primeiramente, manter contato com a direção da escola para expor a necessidade de haver um grêmio estudantil;
3º PASSO- Feito isso, o próximo passo é convocar uma reunião geral com todos os estudantes para participarem da ASSEMBLEIA GERAL, quando será explicado todos os critérios de como será feita a eleição, desde as datas para inscrição da chapa (grupos que concorrerão à liderança do grêmio), regras de campanha e votação. Nesta reunião, também é decidido o nome do Grêmio, junto à aprovação do Estatuto e a definição dos membros da COMISSÃO ELEITORAL;
*Importante: A Assembleia Geral precisa ser registrada em ata.
4º PASSO- Os alunos se reúnem e formam as CHAPAS que concorrerão na eleição. Eles devem apresentar suas ideias e propostas para o ano de gestão no Grêmio Estudantil. A Comissão Eleitoral promove debates entre as chapas, abertos a todos os alunos;
5º PASSO- A Comissão Eleitoral organiza a ELEIÇÃO. A contagem é feita pelos representantes da comissão, acompanhados de dois representantes de cada chapa e, eventualmente (caso os estudantes vejam necessidade), dos coordenadores pedagógicos da escola. No final da apuração, a Comissão Pró-Grêmio deve fazer uma Ata de Eleição para divulgar os resultados;
6º PASSO- A Comissão Pró-Grêmio organiza a cerimônia de POSSE DA DIRETORIA do Grêmio (quem cuidará do que no Grêmio Estudantil).
É sempre muito importante que nesse processo, o representante eleito do Grêmio fique sempre em contato com o pessoal da UBES e da entidade estudantil representativa no estado, para que as moiblizações sejam conjuntas na luta por uma educação melhor em cada sala de aula.
DIREITO AO GRÊMIO EM SUA ESCOLA, É LEI!
A formação de grêmios nas escolas é uma das bandeiras históricas da UBES, que depois de ser posta na ilegalidade durante a ditadura militar, alcançou um importante passo para a reestruturação do movimento estudantil. A porta para democracia foi novamente aberta, quando em novembro de 1985 foi sancionada a Lei do Grêmio Livre através do projeto 7938, do deputado federal Aldo Arantes, ex-presidente da UNE. O texto diz:
“Aos estudantes de estabelecimento de ensino de 1° e 2° graus fica assegurada a organização de Grêmios Estudantis como entidades autônomas representativas dos interesses dos estudantes secundaristas, com finalidades educacionais, culturais, cívicas, desportivas e sociais”.
Quer mais informações, dúvidas? Entre em contato com a diretoria de comunicação da UBES pelo e-mailubesecundarista@gmail.com ou anern.2003@hotmail.com

CONHEÇA MAIS A LEI DO ESTÁGIO E OS SEUS BENEFÍCIOS

Estagiários contam suas experiências em empresas
O estágio oferece muitas oportunidades aos jovens. Gerar conhecimento, aprendizado e experiência na área são algumas vantagens do ofício para que os candidatos tenham certeza sobre a profissão escolhida e entrem no mercado de trabalho mais preparados. Existem duas modalidades de estágio, o obrigatório, definido como obrigatório no projeto pedagógico do curso, cuja carga horária é requisito para aprovação e obtenção do diploma, e o não obrigatório, desenvolvido como atividade opcional, acrescida à carga horária regular e obrigatória, e parte do projeto pedagógico do curso.
Com a nova Lei do Estágio, que entrou em vigor em 2008, os estudantes foram beneficiados ao adquirir direitos trabalhistas como carga horária de no máximo seis horas por dia e férias.
A Lei é de autoria da deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB-RS). “Com a nova Lei, o estágio deixou de ser um trabalho sem direitos e garantiu que os estagiários não sejam explorados como mão-de-obra barata”, ressaltou a parlamentar. Para ela, o estagiário passou a ser considerado uma pessoa que está na empresa para aprender e a universidade, assim sendo, volta a ter “papel fiscalizador”.
Existem empresas mediadoras de estágio como o Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) e o Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube) para ajudar na relação empresa-candidato. Para o analista de comunicação do Nube, Rafael Oliveira, após a lei, o papel do estágio foi alterado e trouxe uma nova realidade. 
Segundo Rafael, em média 60% dos jovens são efetivados a partir do estágio. “Isso mostra um novo pensamento por parte das organizações. As empresas querem um jovem com potencial para crescer. Hoje, os estudantes não são contratados para tapar buraco, preparar café ou pegar encomendas. As empresas querem formar um talento”, afirmou o analista.
Manuela contou que recebeu duras críticas quando a Lei do Estágio foi aprovada, pois alguns setores diziam que os direitos garantidos na lei elevariam os custos de contratação e se reduziria o número de vagas, próprio de quem quer trabalhadores na precarização e na informalidade. “Hoje, a realidade mostrou que esse argumento é falso, pois as vagas de estágio crescem a cada ano, resultado da adaptação das empresas à lei e da superação dos impactos na crise econômica mundial”, constatou a deputada. 
ESTUDANTES CONTAM EXPERIÊNCIAS DIFERENTES
Após diversos relatos sobre as experiências dos estudantes no estágio, é possível perceber que a Lei contribui para que a empresa cumpra com as cláusulas descritas nos contratos. O estudante de jornalismo Gabriel Moraes trabalhou quase dois anos como estagiário antes de ser efetivado. “A vaga de estágio surgiu por um amigo e a efetivação foi consequência do meu trabalho”, afirma o estudante, que não tem reclamações sobre descumprimento do contrato. “Funciona direito, tudo que é prometido é cumprido. Quando trabalho a mais me pagam hora extra”, conta. Para ele, a Lei do Estágio ajuda com os direitos e é uma proteção não só para os estagiários como também a quem contrata. “As duas partes saem beneficiadas”, afirmou.                
Já as estudantes Isabela Haddad e Fernanda Bellese tiveram problemas com atraso de pagamento do salário nos estágios em que não assinaram contrato. “Eles costumavam atrasar muito os pagamentos. Teve um mês que demorou mais de 10 dias!”, contou Isabela. Além do atraso mensal, a estudante relatou que quando foi demitida tinha direito a uma quantia referente ao tempo em que trabalhou no seu último mês na empresa, mas até hoje não recebeu. Fernanda contou que não tinha os direitos exigidos por lei. “Cheguei a ganhar menos que um salário mínimo e saí com uma mão na frente e outra atrás”, desabafa a estudante
ENTENDA A LEI
A advogada da UNE, Thais Bernardes, explicou que no caso das estudantes acima, aparentemente os contratos não foram firmados sob a égide da Lei 11.788/2008, razão pela qual tais relações poderiam ser caracterizadas como vínculo de emprego do educando com a parte concedente do estágio (art. 5º), sujeitas à legislação trabalhista e previdenciária.
“Mas ressalte que a Lei não vincula a bolsa auxílio a nenhum valor mínimo, tampouco ao salário mínimo (Súmula Vinculante nº 4 do STF), bem assim, o término do estágio (firmado de acordo com a lei mencionada) não implica no pagamento de nenhum tipo de indenização, tal qual os 40% do FGTS, aviso prévio, entre outros, todos típicos da relação de emprego, não de estágio”, esclarece Thais.
Para evitar que estes ou outros problemas ocorram é importante firmar o Termo de Compromisso de Estágio. De acordo com a Lei, o educando ou seu representante, a parte concedente do estágio e a instituição de ensino são obrigadas a assinar o contrato (inciso II, art. 3º da Lei 11.788/2008).
Neste contrato recomenda-se constar dados de identificação das partes, inclusive cargo e função do supervisor do estágio da parte concedente e do orientador da instituição de ensino; as responsabilidades de cada uma das partes; objetivo do estágio; definição da área do estágio; horário da realização das atividades de estágio; valor da bolsa, nos termos do art. 12 da Lei nº 11.788/2008; valor do auxílio-transporte, nos termos do art. 12 da Lei nº 11.788/2008; concessão de benefícios, nos termos do § 1º do art. 12 da Lei nº 11.788/2008.
Vale lembrar que é assegurado às pessoas portadoras de deficiência o percentual de 10% das vagas de estágio oferecidas pela parte concedente (§5º. do art. 17 da Lei 11.788/2008).
Natália Vaquelli
Foto: Folha do Sul 

DIREITO À CIDADE É TEMA DE NOVO DIÁLOGO COM A POPULAÇÃO PAULISTANA

Em São Paulo, Secretaria de Direitos Humanos e Cidades convida moradores do Município a debater a elaboração de políticas que promovam a ocupação dos espaços públicos com base na convivência, na tolerância e no direito à cidade
Oportunidade de participação da juventude da capital paulista, a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania realiza na quarta-feira, dia 30, uma roda de conversa com a população sobre o direito à cidade e a ocupação dos espaços públicos, o #DiálogoSP_DH/Direito_à_Cidade.
O secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Rogério Sottili, e o coordenador de Promoção do Direito à Cidade da SMDHC, William Nozaki, ouvirão as demandas, os desafios e as sugestões dos moradores para a construção conjunta de políticas que promovam a ocupação dos espaços públicos do Município com base na cidadania, na convivência, na tolerância e no direito à cidade.
Com o objetivo de mudar o cenário de proibições e restrições que tomou conta de São Paulo nos últimos anos, a SMDHC criou a Coordenação de Promoção do Direito à Cidade, que tem como um dos principais desafios a recriação e a ressignificação dos espaços públicos, sobretudo para o encontro das diferenças, a fim de despertar na população o sentimento de pertencimento e de igualdade, fundamentais para a garantia dos direitos humanos.
Agora, a SMDHC convida a população para construir coletivamente uma agenda de ocupação do espaço público com foco nesse sentimento de pertencimento à cidade e na garantia de direitos – e tendo em vista a política de participação social que guia a atual gestão municipal.
O #DiálogoSP_DH/Direito_à_Cidade acontecerá na Praça Roosevelt, das 18h30 às 22h, com entrada livre e gratuita. Não é necessário se inscrever. A participação é aberta à todos os cidadãos paulistanos, entre eles os jovens estudantes, coletivos, movimentos, grupos, organizações, artistas, ativistas e protagonistas das ruas e da ocupação do espaço público.

#DIÁLOGOSP_DH/DIREITO_À_CIDADE

Praça Roosevelt, centro
Dia 30/10, das 18h30 às 22h
Entrada livre e gratuita
Acesso para cadeiras de rodas e banheiros públicos no local
Fonte: UBES

COMUNICADO DA CNECO: FERIADO NACIONAL PRORROGA ELEIÇÕES DESSA SEGUNDA-FEIRA (28)

Muitas escolas não terão aula, impossibilitando a realização do processo eleitoral 
Devido feriado desta segunda-feira (28/10) relativo às comemorações do Dia do Servidor Público, a Comissão Nacional de Eleição, Credenciamento e Organização (CNECO) informa que todas as eleições de chapas prevista para esta data no sistema de inscrições do 40º Congresso Nacional da UBES serão adiadas para o dia seguinte.
Os estudantes enquadrados nesta situação deverão realizar  impreterivelmente as eleições nesta terça-feira (29/10) em suas escolas.
A CNECO também reafirma que se aproxima o encerramento do sistema de inscrições ao 40º Conubes. Os estudantes tem até a próxima quarta-feira (30) para realizar o processo de cadastramento junto à CNECO para garantir o registro dos delegados  representando com direito à voz e voto suas escolas no Congresso.
Fonte: UBES

ENEM 2013: GABARITOS OFICIAIS SAEM NESTA QUARTA-FEIRA (30)

Record de inscrições com 20% a mais que a edição anterior, resultado final incluindo a redação será disponibilizado em janeiro de 2014
A expectativa dos estudantes, após as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no fim de semana, é pelo gabarito. Até quarta-feira (30), ele deverá ser divulgado na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O resultado final do exame sairá na primeira semana de janeiro.
Para divulgar o resultado final é preciso concluir a correção das provas de redação e os corretores terão de avaliar os textos de cerca de 5 milhões de pessoas que fizeram o exame. Como no ano passado, os candidatos terão acesso ao espelho da correção apenas para fins pedagógicos.
sistema de correção do Enem usa a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI). O valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item. Assim, um item que teve grande número de acertos será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Já o estudante que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item.
No dia seguinte ao encerramento do exame, que foi aplicado no sábado (26) e domingo (27), estudantes ainda comentam o Enem nas redes sociais. Muitos avaliam que as provas foram difíceis e extensas. Sobre a redação, um dos itens que mais preocupa os candidatos, alguns consideraram o tema inesperado ou avaliaram que o assunto não era tão atual como se esperava.

NÚMERO RECORD EM INSCRIÇÕES

O Enem 2013 recebeu número recorde de inscrições, mais de 7,1 milhões. Desses, mais de 5 milhões fizeram o exame. Pelo microblog, a presidenta Dilma Rousseff desejou boa prova aos candidatos e, no domingo, agradeceu: “Agradeço às mais de 600 mil pessoas que trabalharam para fazer o sucesso do #Enem2013″, disse, “E aos mais de 5 milhões de candidatos do #Enem2103. Agora vamos acompanhar as correções das provas”, acrescentou.
Nos dois dias, os candidatos enfrentaram dez horas de prova. Nesse período, responderam a 180 questões e fizeram a redação.  As provas foram aplicadas em um total de 1.161 cidades em 16.355. No Distrito Federal, são 315 locais.
O serviço de atendimento ao cidadão do Ministério da Educação funcionará no final de semana das 8h às 20h, pelo telefone 0800-616161. Mais informações acesse www.enem.inep.gov.br.
Fonte: UBES

COMISSÃO APROVA TEMÁTICA DE GÊNERO NO CURRÍCULO DA REDE DE ENSINO

Objetivo é propor reflexões sobre a violência contra as mulheres
A Comissão de Educação aprovou na última quarta-feira (24/10) o Projeto de Lei (PL) 7627/10, da deputada Janete Rocha Pietá (PT-SP), que torna obrigatória a inclusão da temática gênero e suas relações intra e interpessoais nos currículos escolares.
O objetivo é incentivar o estudo e o diálogo sobre o tema gênero, promovendo uma mudança cultural em favor da igualdade entre os sexos.
Para a diretora de Mulheres da UNE, Lays Gonçalves, o projeto de lei pode ser considerado um avanço. ‘’É um projeto de lei muito importante, uma proposta de transversalidade. Se realmente aprovado permitirá que a questão de gênero seja debatida dentro da sala de aula, podendo assim extrapolar os muros da escola. É mais uma forma de combater o machismo e a violência contra as mulheres’’, falou.
Janete Pietá esclarece que a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06) não é suficiente para coibir a violência doméstica contra a mulher.
De acordo com a deputada, a proposta também visa promover debates e reflexões sobre a violência contra as mulheres e entre gêneros. “Pode ser um bom instrumento para uma convivência harmoniosa entre alunos.”
Segundo o CENSO do Ensino Superior de 2010, produzido pelo ministério da Educação, as mulheres são hoje maioria nas universidades, ocupando 57% das matriculas. O mesmo acontece na conclusão dos estudos, 60% das pessoas que chegam até o final dos cursos universitários são mulheres.
Porém, apesar dos avanços, a sociedade continua representando a cultura de machismo e exclusão enraizada em sua construção.
‘’O projeto representa mais um instrumento para embasar as lutas contra a cultura machista, ainda dentro do ensino básico’’, salientou Lays.
Redação UNE

sábado, 26 de outubro de 2013

NA VÉSPERA DO ENEM, É HORA DE DESACELERAR RITMO DE ESTUDOS E RELAXAR


Na reta final para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que serão aplicadas nos próximos dias 26 e 27, professores recomendam desacelerar o ritmo de estudos e relaxar para chegar no dia do exame com a cabeça descansada.
Na véspera da prova, o melhor é apenas relaxar, comer alimentos leves e dormir cedo. São as dicas de professores ouvidos pela Agência Brasil.
O professor de história Paulo Eduardo dos Santos, do Colégio Garriga de Menezes, do Rio de Janeiro, diz que o candidato pode até aproveitar os últimos dias que antecedem a prova para repassar conteúdos de disciplinas em que tenha dificuldade, mas sem exagero. “Não adianta pensar que no último dia tem que resolver tudo, tem que fazer todos os exercícios e no dia seguinte ir para a prova morto”, acrescenta.
Para a véspera, ele sugere que os estudantes descansem dos meses seguidos de preparação, pois vão enfrentar dez horas de provas durante os dois dias do Enem. “A sexta tem que ser para descansar, relaxar, não estudar, porque a tendência de você estudar em cima da hora da prova é embolar os conteúdos, ficar com medo e achar que sabe menos do que sabe de verdade. Cria uma ansiedade que vai te prejudicar na prova no dia seguinte”.
A mesma avaliação é feita pelo professor de química José Maurício Vieira dos Santos, do Sistema Elite de Ensino, do Rio de Janeiro. Para ele, o estudante tem que se “desconectar” do estudo antes da prova. “É melhor que ele vá ao cinema, nadar, jogar bola e desconecte, saia do ar um pouco porque se ele se preparou o ano todo como se deve, ele está cansado e precisa se desconectar umas 72 horas, 48 horas, antes da prova”. Outra dica é que os candidatos mantenham a rotina no dia anterior ao da prova para que o organismo não estranhe.
O professor de história Paulo Eduardo dos Santos lembra que o apoio da família é fundamental. Pela experiência em sala de aula, ele relata que os pais e irmãos podem ser fonte de pressão ou trazer tranquilidade. “A família, neste momento, tem que ajudar muito. Evitar jogar sobre o vestibulando uma grande pressão. Às vezes, a família, na intenção de ajudar, acaba gerando uma cobrança sobre o estudante que não é positiva porque ele tem que lutar para passar e tem a expectativa de não decepcionar todo mundo”, explica.
O Enem deste ano tem 7.173.574 de inscritos que vão fazer as provas em 1.161 municípios. No primeiro dia, os estudantes fazem as provas de ciências humanas e ciências da natureza, com quatro horas e meia de duração. No segundo dia, as provas são de linguagens, códigos, matemática e redação. O tempo aumenta para cinco horas e meia de duração.
Do total de inscritos, a maioria já concluiu o ensino médio (4.052.038) e está na faixa etária de 21 a 30 anos (2.181.084).
Fonte: UBES

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

AUDIÊNCIAS, FLIQ (III FEIRA DE LIVROS E QUADRINHOS DE NATAL E SONHOS PARA SEREM REALIZADOS!

 Eduardo, Jackson e Washington e o professor, Enildo Santos - UFRN
 Foto oficial: Jackson, Eduardo, professor Enildo Santos, Washington e Eugênio
 Na saída da UFRN fotos para registro
Os membros da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN, Eduardo Vasconcelos (Coordenador Geral), Jackson silva e Washington Baraúna (membros) estiveram hoje em Natal em audiências com o Reitor do IFRN, Belchior Rocha e o Assessor da Reitoria para o Projeto de Expansão, Enildo Santos, tratando do Ensino Superior na Região Agreste Potiguar especificamente em Nova Cruz.

A primeira parada foi na UFRN, professor Enildo Santos reuniu-se com os membros da comissão na sala de reuniões do Gabinete da Reitoria. Eduardo Vasconcelos iniciou apresentando-se, juntamente com o Jackson e Washington, depois fez uma retrospectiva de como surgiu a comissão, o seu nascimento, suas necessidades e seus objetivos, inclusive sobre os dois debates realizados pela comissão, sendo que o último com a presença da Reitoria da UFRN, onde no final do debate todas as autoridades presentes assinaram um documento se comprometendo-os a lutar em prol dos Campus da UERN e UFRN. Eduardo relator também informou ao assessor de que a comissão tem outros documentos assinados por parlamentares tanto da Bancada Federal como da Bancada Estadual se comprometendo com a LUTA pelos CAMPUS DA UERN E UFRN.

Professor Enildo Santos falou que a UFRN tem como objetivo expandir-se no estado e Nova Cruz consta nesta lista de intenções da universidade, como também Macau.  O projeto já se encontra em Brasília em análise, incluindo os cursos para Nova Cruz solicitados pela sociedade, através da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN, que são Enfermagem, Letra habilitação em Inglês e Ciências da Computação, além de Filosofia a Distância, mas pode haver mudanças, pois o MEC prefere que seja implantados cursos que absorvam os mesmos professores efetivos ou contratados para selecionar no mínimo dois cursos, tendo assim custos menores, mas isso pode ser discutido.  Quanto ao curso de Letras habilitação em Inglês a UFRN tem "poucos" professores para a demanda, caso venha se concretizar, mas o caso também está sendo estudado.

Enildo Santos também lembrou de que existe um "acordo" entre a UERN/UFERSA e UFRN de que por exemplo a UERN abrangeria a Região do Oeste e Alto Oeste e a UFRN o Seridó, Médio Oeste e o Agreste e todas não implantaria cursos onde já existe através de outra universidade.  Mas o professor Enildo Santos garantiu aos membros da comissão de que se houver mudanças chamará a comissão para debater.  Enildo também falou que o retorno do campus para Nova Cruz, caso o MEC autorize haverá evidentemente concurso e contratos provisórios de professores/as e funcionários para suprir a demanda.

Finalizando o professor Enildo adiantou que na 3ª semana de novembro o mesmo estará em Nova Cruz visitando o campus acompanhado de técnicos para fazer levantamento estrutural do mesmo.

Professor Enildo aproveitou para dá uma dica de que para a UERN virar CAMPUS o essencial seria garantir em Lei na Constituição Estadual do RN.

 Audiência com o Reitor, BELCHIOR ROCHA-IFRN com membros da comissão: Eduardo, Jackson e Washington
 No final o Reitor BELCHIOR ROCHA concedeu entrevista ao radialista, Eduardo Vasconcelos
Em seguida a comissão se deslocou para o IFRN, onde foram recebidos pelo Reitor BELCHIOR ROCHA e depois de alguns minutos de debate o reitor concedeu entrevista ao Eduardo Vasconcelos que será levado próximo sábado no Programa NAÇÃO NOVA, mas a comissão adianta um trecho da entrevista onde o reitor Belchior antecipa de que em 2015 estará saindo o Edital do Curso Superior - "Tecnologia em Açucar e Alcool, antes não pelo fato do campus só ter aproximadamente 40 professores e para criar o Ensino Superior é necessário 60, mas em 2015 esse número será atingido, garantiu Belchior.  Além do mais o reitor deixou escapar de que existem uma possibilidade também se ter a nível  de Ensino Superior o Curso de Licenciatura em Química.

Para Eduardo Vasconcelos é  importante esses dois cursos porque vem preencher a demanda da região, onde temos duas grandes usinas a de Arês e a de Baía Formosa, onde hoje uma grande parte dos que ali trabalham hoje vem de fora, como por exemplo Recife, João Pessoa e Natal e com esses cursos isso pode ser revertido, pois teremos muito em breve profissionais da área habilitados a ingressarem nessas usinas ou mesmo outras empresas que se instalarão nas proximidades da BR 101, como também um polo industrial que será também implantado próximo a cidade de Goianinha.

Eduardo agradeceu em nome de todos pela excelente entrevista concedida.

Quanto a UERN, Eduardo Vasconcelos sábado falará a respeito no Programa de sábado com mais detalhes sobre os últimos acontecimento em torno da decisão do CONSEPE de suspender editais nos 11 núcleos da UERN espalhados pelo Estado.

 Maquete do Castelão - Copa do Mundo 2014
 Professora Eleika Bezerra

 SME-Nova Cruz, professoras Socorro e Matilde
 Eduardo Vasconcelos, Socorro e Matilde
 Deputada FÁTIMA BEZERRA
 Chico Alves

 Amigos/as seridoenses presente ao debate
 Volnei Canônica, Coordenador do Programa "Prazer em Ler" - Instituto C & A, "roubou" a cena, pois foi muito claro quanto ao tema, falou o que os presentes queriam ouvir!
 Deputada Fátima Bezerra falou dos avanços obtidos na área da literatura no Congresso Nacional
No inicio da tarde a comissão participou da III FLIQ - Feira de Livros e Quadrinhos de Natal na UFRN, inclusive da Mesa Temática: Diálogos entre representantes de frentes parlamentares do livro, da leitura, da literatura e das bibliotecas e representantes das cadeias criativa, produtiva, distributiva e mediadora, promovido pelo FLEB - Fórum do livor, da Leitura, da Literatura e das Bibliotecas do RN.

Os debatedores foram: Eleika Bezerra - Vereadora em Natal e Presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Livro e da Literatura, Fernando Mineiro - Deputado Estadual do RN e Presidente da Frente Parlamentar do Livro e da Leitura.  Chico Alves - Editor, autor e produtor cultural;  Aluisio Azevedo Junior - Autor e Livreiro; Volnei Canônica - Coordenador do Programa Prazer em Ler - Instituto C & A.

Mediação: Deputada Fátima Bezrerra - Deputada Federal e Presidente da Frente Parlamentar Mista do livro e da Leitura do Congresso Nacional e o professor, Júnior Souto.

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

MEMBROS DA COMISSÃO EM DEFESA DOS CAMPUS DA UERN E UFRN TEM NESTA QUINTA, 24 MARATONA DE AUDIÊNCIAS EM NATAL

Nesta quinta-feira, 24 membros da Comissão em Defesa dos Campus da UERN e UFRN estarão em Natal em audiências com as instituições UFRN (Professor Enilson Santos), IFRN (Reitor Belchior Rocha e UERN (diretora do Campus de Natal, Lúcia Dantas), tratando de assuntos de interesses dos estudantes da Região Agreste e em particular Nova Cruz, em pauta Cursos Superiores.  Todas já estão confirmadas as audiências, além dessas audiências os membros se deslocarão também para a Governadoria, Secretaria Estadual de Educação - SEEC-RN, Conselho Estadual de Educação e Assembleia Legislativa, mantendo contatos autoridades na tentativa de cobrar os apoios quer foram firmados nos últimos debates promovidos pela comissão na defesa dos campus.

Fontes ligadas a UERN nos adiantaram por telefone hoje ao Coordenador Geral da Comissão, Eduardo Vasconcelos, que a recente atitude do reitor, Pedro Fernandes e dos conselheiros se deve após a audiência que o reitor e toda a sua equipe teve com a governadora, Rosalba Ciarline, ou seja o corte orçamentário também chegará a UERN, o que é um absurdo se isso for verdade!  

O coordenador da comissão, Eduardo já está mantendo contatos com os outros núcleos na tentativa de buscar uma grande reunião em Mossoró e traçar novas lutas na defesa dos núcleos e dos campus da UERN em todo o estado.  É uma luta difícil, mas não impossível.  Cobraremos dos políticos e autoridades que assinaram documentos se comprometendo com a luta pelo campus.  Vamos cobrar ética e seriedade desse políticos, ano que vem tem eleição e eles tentarão que fazer mais um vestibular político e que vai corrigir suas provas é o POVO, é a SOCIEDADE!  Em breve daremos os nomes "aos bois", concluiu, Eduardo Vasconcelos.

UUE-MT REALIZA NESTA QUARTA-FEIRA DEBATE DA REFORMA POLÍTCA

Atividade faz parte de uma série de eventos da Calourada da UFMT 2013
Começou no dia de 15 e vai até a próxima sexta-feira, 25/10, a calourada que a União Estadual dos Estudantes (UEE-MT) organiza para receber quem acaba de chegar à Universidade Federal (UFMT), em Cuiabá.
De acordo com o presidente da UEE, Rarikan Heaven, a ideia é divulgar a entidade, que foi reorganizada este ano, para os estudantes novos. “Ficamos oito anos sem UEE no Estado, então resolvemos organizar atividades políticas e culturais para que os estudantes conheçam e contem com a UEE”, destacou. “Tivemos uma participação grande na aula inaugural num bate-papo com reitora, a festa de recepção teve mais de mil pessoas e esperamos que o debate sobre reforma política também tenha muitos estudantes”, destacou.
Nesta quarta-feira (23/10), às 19h, ocorre o debate sobre a reforma política que a UEE realiza com apoio do Centro Acadêmico de Direito, no saguão da Faculdade de Direito da UFMT.
O representante do CA, Felipe Melo, acredita que juntar professores de direito, entidades estudantis, representantes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), membros da Ordem dos Advogados do Brasil, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), movimento sindical, associação dos docentes e estudantes para discutir o assunto será muito bom para o debate. “Nosso país está vivendo uma crescente em mobilizações, principalmente, estudantis. E a reforma política apesar de não ser assunto novo, está com toda força. Nós do direito que estudamos o assunto abraçamos a ideia da UEE de debater o assunto porque sabemos como a política e o direito tem fronteiras imbricadas e por isso a necessidade desta discussão”, ressaltou.
A UNE faz parte da Coalizão Democrática pela Reforma Política e Eleições Limpas que defende um projeto de reforma política para o Brasil. O movimento tem realizado atos pelo Brasil afora para debater e difundir o projeto de iniciativa popular que muda a forma como as campanhas eleitorais são feitas no país. As UEEs em vários Estados também têm realizado debates para esclarecer o assunto entre os estudantes.
CALOURADA CONTINUA
Na quinta-feira (24/10), a UEE-MT programou uma atividade para os calouros vindos de outros municípios e que não conhecem a capital de Mato Grosso. Durante o “Lado C – Conhecendo Cuiabá” serão visitas aos principais pontos turísticos da cidade. Os estudantes serão guiados pelo arquiteto Guilherme Almeida e pela produtora cultural Flavianny Tiemi, que desenvolvem um projeto de zoneamento cultural de Cuiabá. Será formado um grupo no turno matutino e outro grupo no turno vespertino.
A Calourada da UEE-MT termina na sexta-feira (25/10). Informações sobre as atividades e inscrições para o Lado C na Tenda da UEE, em frente ao Restaurante Universitário.
Da Redação - UNE

ARTE DO 40º CONGRESSO DA UBES PARA DOWNLOAD


A UBES disponibilizou a arte oficial do 40º Conubes para download. Os estudantes poderão utilizar o material em suas redes, imprimir e compartilhar as informações do maior encontro já realizado pelo movimento secundarista.
O Congresso acontecerá de 28 de novembro a 1º de dezembro no estado de Minas Gerais. O prazo de inscrição das comissões e grêmios que representarão suas escolas no fórum da UBES segue até o próximo dia 30 de outubro, já quase atingindo o record de 10 mil delegados inscritos.
Faça seu download do arquivo em alta qualidade aqui.
Mais informações: ubesecundarista@gmail.com
Fonte:UBES

terça-feira, 22 de outubro de 2013

FIM DO PRAZO PARA GRÊMIOS CADASTRADOS, COMISSÕES DE 10 PODEM INICIAR INSCRIÇÕES

Escolas em que Grêmios Estudantis Cadastrados não realizaram a inscrição no sistema do 40º Conubes já podem ter o processo eleitoral realizado pelas Comissões de 10.
A partir desta segunda-feira (21), todos as escolas que possuíam Grêmio Estudantil Pré-Credenciado e que até a data não realizou a inscrição no sistema do 40º Conubes já pode ter o processo eleitoral realizado por uma Comissão de 10 estudantes. O prazo foi oficialmente encerrado no último dia 18.
O prazo encerrado dá fim à prioridade de organização da eleição de representantes nas instituições de ensino. Entre os 667 Grêmios Estudantis Cadastrados, acesse a lista com a relação de cada um deles publicado pela CNECO, atentando-se que existe um prazo limite de inscrição que segue até o dia 18 de outubro.
Para saber se estes Grêmios já realizaram a inscrição acesse o sistema em http://ubes-cadastro.herokuapp.com, em seguida, verifique na aba superior Pré-Credenciamento (http://ubes-cadastro.herokuapp.com/pre-credenciamento).
Fonte: UBES

40º CONGRESSO DA UBES JÁ TEM MAIS DE 9 MIL DELEGADOS INSCRITOS

Em número e em diversidade, os números de estudantes que representarão suas escolas não para de crescer. As inscrições seguem abertas até o dia 30 de outubro.
Não há na história da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) outro congresso tão expressivo em diversidade e participação dos jovens brasileiros. O 40º Congresso Nacional da entidade, o Conubes, já atingiu em seu sistema de inscrições 9.808 mil secundaristas que terão direito à voz e voto no maior fórum de decisão, discussão e debate da classe estudantil do Brasil e de toda América Latina.
Para isso, já foram mobilizadas 5.621 escolas brasileiras em 437 cidades. Cada um desses estudantes foram eleitos em processos eleitorais organizados em suas próprias instituições de ensino, mobilizando todo o corpo escolar. Do ensino fundamental, médio, técnico, profissionalizante e pré-vestibular, Grêmios estudantis, coordenações escolares, pais e professores estão direta e indiretamente envolvidos na organização que levará estes estudantes à representar as suas escolas no evento que acontecerá entre 28 de novembro e 1º de dezembro no estado de Minas Gerais.
O estado mineiro já se prepara para receber os delegados inscritos, serão secundaristas vindos dos quatro cantos do país. Em representatividade, Pernambuco, Bahia, Rio Grande do Sul, Maranhão, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro estão entre os responsáveis por envolver boa parte do número total que não para de crescer.
As inscrições seguem disponíveis no link http://ubes-cadastro.herokuapp.com até o dia 30 de outubro, respeitando os prazos mínimos previstos em regimento.

SERVIÇO

O quê? 40º Congresso da UBES – Conubes
Quando? De 28 de novembro a 1º de dezembro
Onde? Belo Horizonte, Betim e Contagem / MG
Mais informaçõeshttp://www.ubes.org.br/40o-conubes/
Fonte: UBES

A DESIGUALDADE DE GÊNERO ESTÁ NO SEU TECLADO

Campanha da ONU Mulheres mostra como o preconceito contra as mulheres também invade a internet
Experimente digitar no Google frases relacionadas a um suposto comportamento social esperado das mulheres. Use como exemplo este caso: “women shouldn’t” [em português, "as mulheres não deveriam"]. Observe, então, as sugestões de busca mais comuns disponibilizadas pelo site para entender a raiz da campanha da ONU Mulheres, braço das Nações Unidas para a condição feminina no mundo, lançada na última semana.
As respostas mais populares para a frase acima mostram o quão desiguais ainda são as condições entre homens e mulheres na sociedade. E como essa disparidade se reflete na internet e na formação da identidade e dos valores sociais de milhões de pessoas que, ao buscarem “mulheres não deveriam”, encontram entre as sugestões mais populares: as mulheres não deveriam ter direitos, não deveriam votar, não deveriam trabalhar.
Basta mudar um pouco a estrutura da frase para achar novos exemplos. Busque por “women need to” [as mulheres precisam, em português], e encontre respostas como: as mulheres precisam ser colocadas em seus lugares, precisam ser controladas, precisam ser disciplinadas. E a lista segue.
A campanha da ONU estampa justamente as sugestões destas buscas sob as bocas de diversas mulheres, para mostrar que a desigualdade de gênero ainda é grave no mundo. Nos EUA, por exemplo, as mulheres ganham apenas 77% do salário de um homem que ocupa o mesmo cargo, segundo o mais recente Censo do país. Elas também enfrentam dificuldades para serem promovidas a cargos de grande importância.
Um dos poucos exemplos de mulheres chefiando companhias multibilionárias é Marissa Mayer, presidente do Yahoo. Mas ainda assim ela não está a salvo do sexismo. Em junho deste ano, ela recebeu uma cantada de um acionista, em meio a uma reunião de negócios [confira o vídeo abaixo]. “Sou um velho safado e você está muito atraente”, disse o grego George Polis.
Em 2008, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que uma a cada três mulheres está propensa a ser “agredida, coagida a fazer sexo ou ser abusada de outras formas durante sua vida”.
Para monitorar a desigualdade de gênero, a ONU realiza anualmente o Índice de Desigualdade de Gênero, que integra a lista do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos países. Segundo o ranking de 2012, o local onde mulheres e homens têm as condições mais iguais é a Holanda, com um índice de apenas 0,045 – quanto mais próximo do zero melhor, quanto mais perto de 1, mais desigual. Em seguida aparecem a Suécia (0,055) e a Suíça (0,057).
O Brasil figura na 85ª posição, com 0,447, atrás de Chile (0,360), Uruguai (0,367) e Argentina (0,380). O ranking leva em consideração aspectos como o índice de mortalidade materna, gravidez na adolescência, participação das mulheres no Parlamento, população acima de 25 anos com ao menos a educação secundária e a participação feminina na força de trabalho. O estudo não considera liberdades individuais como o direito de dirigir, votar ou sair na rua sozinha, vetados às mulheres de alguns países.
Carta Capital 

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

ENEM: PROVAS SERÃO APLICADAS EM 1.161 CIDADES E 15 MIL SALAS DE AULA


Yara Aquino

Repórter da Agência Brasil

Brasília – No próximo fim de semana, 7.173.574 milhões de inscritos irão fazer as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Um grande esquema de logística foi montado para o transporte e a aplicação das provas em 1.161 municípios espalhados pelo país. Os candidatos farão as provas em 15 mil salas de aula e 660 mil pessoas vão trabalhar no dia do exame. Este ano, os cerca de 63 mil malotes de provas terão cadeado eletrônico com GPS para garantir a segurança.
Do total de inscritos, a maioria já concluiu o ensino médio (4.052.038) e está na faixa etária de 21 a 30 anos (2.181.084). As mulheres representam 58,5% do total de inscritos. Esses candidatos vão poder usar a nota do exame para concorrer a vagas de ensino superior em uma das 21 universidades federais, quatro estaduais e 29 institutos federais que adotam o Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
Cerca de 70% dos candidatos ficaram isentos de pagar a taxa de inscrição. A isenção vale para estudantes concluintes do ensino médio em escolas públicas ou que têm renda mensal per capita inferior a um salário mínimo e meio.
A aplicação do Enem envolve um longo período de preparo e prevê atendimento específico para quem tem deficiência, gestante, idoso e até mesmo para pessoas que estão em hospitais. O número de pessoas que solicitou atendimento diferenciado ou específico ao fazer a inscrição foi 162.179.
Entre os que precisam de atendimento específico há dez candidatos em classe hospitalar. Há ainda 90.273 pessoas que guardam o sábado por questões religiosas. Isso significa que eles só iniciam a prova após o pôr do sol de sábado e, até esse momento, ficam em uma sala isolada dos demais candidatos. Também será garantido atendimento específico para idosos e mães que estão amamentando.
As grávidas são 6.689 entre os inscritos e a estimativa do Ministério da Educação é que 617 vão ter o bebê em data próxima à da aplicação das provas. O ministério passou a acompanhar de perto esse grupo depois que uma candidata teve um bebê no banheiro da escola onde fazia a prova, no ano passado.
Para o Enem 2013, foram impressas 442 provas em braile para os cegos. Outras 1.647 pessoas terão prova com letra ampliada e 5.849 vão receber a prova super ampliada. Os autistas e os que têm dislexia vão contar com o auxílio de leitores e transcritores. Haverá ainda intérprete de libras e auxílio para transcrição. Aproximadamente 29 mil pessoas solicitaram salas de mais fácil acesso.
Edição: Carolina Pimentel
Fonte: Agência Brasil

EM SP, PARALISAÇÃO NACIONAL DA ÚLTIMA QUINTA (17) RETRATOU A ESCOLA QUE “NÃO QUEREMOS”

Com a força tática na porta das escolas, diretorias escolares tentam impedir a mobilização pacífica dos estudantes que pediam melhorias no ensino. Em uma das instituições na zona norte, secundaristas abrem chamado para novo ato
O estado de São Paulo foi um dos principais a compor a Paralisação Nacional dos Estudantes pautada pela UBES e toda classe estudantil nas escolas da zona norte. O tema que direcionou a escola estadual Brigadeiro Gavião Peixoto e a municipal Professora Therezinha Sartori foi “Pela Escola que Queremos” na última quinta-feira (17), evidenciando o quanto pode ser antidemocrático e inexistente o diálogo dentro das escolas.
No centro de Mauá, a maior escola do município, aderiu à paralisação, cerca de 300 secundaristas de ensino fundamental e médio iniciavam a oficina de faixas e cartazes para a paralisação, evidenciando como tema principal a necessidade de infraestrutura de qualidade e a falta de professores. Em contrapartida, a diretora da escola chamou a polícia militar e ameaçou chamar os pais dos estudantes que aderissem à paralisação.
Na escola também conhecida como “Viscondão”, o diretor da União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES), Daniel Wegmann que acompanhou todo o ato conta que houve a tentativa de reprimir e inibir a movimentação legítima dos estudantes. “Fomos reprimidos pela polícia e a diretora, apesar disso deu certo. Os estudantes comentam que essa é uma escola direção muito ditadora que não permite nem mesmo a formação do grêmio estudantil”, comentou relembrando que policiais da força tática estavam na porta do colégio.

A MOBILIZAÇÃO CONTINUA PELA NOVA ESCOLA

Na próxima quinta (24), novas pautas serão levantadas junto à outras instituições de ensino da região, acesse o evento organizado no facebook Por Uma Nova Escola. Dessa vez, quem puxa o ato são os secundaristas da escola estadual Brigadeiro Gavião Peixoto, em Perus. Mais uma vez, esta é mais uma das escolas que não possui a organização e liberdade de movimentação do grêmio estudantil. Rafaela Lima, que também é diretora da UPES e acompanhou o ato afirma: “Estudar aqui é como se sentir em um presídio, por isso os estudantes querem mudar essa estrutura da escola, mas a diretora não deixa nem mesmo formar o grêmio estudantil”, denuncia.
Mesmo com a tentativa de impedir ação estudantil, os jovens da escola saíram em passeata pelo bairro à caminho de outra instituição de ensino – Manuel Bandeira.
Para UBES, a UPES e todo o movimento estudantil secundarista brasileiro, dar a voz e entender as necessidades dos estudantes que estão nas salas de aula é um dos principais passos para construir as mudanças na educação. A existência de diálogo e a gestão democrática é o caminho para conquistar a escola que queremos, e não com polícia na porta das instituições de ensino tentando reprimir o direito legítimo de organização estudantil.
Da Redação - UBES